quinta-feira, Maio 24, 2007

Saúde - Pé-de-Atleta

O pé-de-atleta é uma das doenças dermatológicas mais comuns, isto fica a dever-se à facilidade com que se transmite, sobretudo, em espaços públicos como praias, piscinas, balneários, etc. Cabe a cada um de nós ter cuidados para evitar a propagação da doença, para isso acontecer basta um gesto tão simples como, por exemplo, o de utilizar sempre chinelos nos espaços acima citados.

in, www.boasaude.uol.com.br

O Pé de Atleta é uma infecção extremamente comum, que ataca mais homens do que mulheres, em geral adultos, o pé-de-atleta, ou frieira, é cientificamente chamado de Tinea pedis
Ele pode incidir na pele e nas unhas, na região dos pés, sendo mais acentuado entre os dedos dos pés e de tratamento mais prolongado quando atinge as unhas. Quando os fungos que causam o pé-de-atleta (os Epidermphyton) entram em contato com a pele dos pés, particularmente nos vãos dos dedos, que é a região normalmente mais abafada e mais húmida, surge uma reacção no tecido de modo a combater os efeitos do agente nocivo. Esse efeito também pode ocorrer, seja ele causado ou não por micróbios, por isso é necessária uma avaliação médica quando surgem os sintomas.

Sintomas

O pé-de-atleta, além do desconforto, pode causar problemas estéticos nos pés.
- As unhas tornam-se queratinosas e fracas, às vezes curvas;
- Entre os dedos, surgem feridas que causam uma impressão de falta de cuidados ou de higiene;
- As feridas podem surgir desde uma pele vermelha que se descama, até pequenas bolhas e um formato esbranquiçado da pele, com leves tons cinza, típicos de fungo (de aparência semelhante à casca da laranja contaminada por fungos).
- Os pés começam a sofrer pruridos ou “coceiras”;
Os pés não servem apenas para sustentação do nosso corpo, mas também para nossa locomoção e são umas das formas de apresentação no convívio social.

Risco de Contrair a Doença

- Os pés correm o risco de sofrer desse problema quando são conservados dentro de sapatos fechados, especialmente com meias sintéticas, e esse risco acentua-se no verão;
- Para as pessoas que necessitam trabalhar com botas de couro ou de borracha, como por exemplo, soldados, bombeiros, faxineiros e jardineiros, etc., os cuidados devem ser redobrados porque a transpiração dos pés é maior;
- Como o pé-de-atleta é muito comum, qualquer pessoa, entretanto, que não faça a correcta higiene dos pés ou que calce sapatos com os pés ainda húmidos pode desencadear a acção do fungo;
- Existe também o risco de contágio, principalmente para pessoas que andam descalças na praia ou nas piscinas e balneários;
- Um alerta – Toda a literatura a respeito do pé-de-atleta aponta o stress como um dos pontos de partida dos problemas. Em situações de stress, o sistema imunológico enfraquece, fica deprimido. Na verdade, existem vários tipos de fungos que podem atacar as pessoas, mas eles não atacam quando o sistema imunológico (as nossas defesas) está bem fortalecido. É como numa guerra: quando a guarnição (o grupo de soldados) é forte, as hipóteses do inimigo vencer são bem menores. Quando os soldados estão à beira da exaustão, o inimigo pode liquidá-los com facilidade. O mesmo se dá ao nosso departamento de defesa do organismo, que é o sistema imunológico. Daí para o ataque e proliferação dos fungos, é apenas um passo.

Tratamento

- Lavar bem os pés e limpar principalmente entre o vão dos dedos.
- Procurar um dermatologista caso tenha algum sintoma de coceira, descamação, dor sob as unhas ou aparência de “bolor” nos vãos entre os dedos do pé.
- Iniciar o tratamento o mais rápido possível após a constatação de pé-de-atleta, lembrando que uma infecção, se mal cuidada, pode desenvolver outras doenças.
- Em geral, o tratamento é feito com pós e cremes antifúngicos, de aplicação local. Se o problema estiver muito acentuado, o médico pode receitar antimicótico via oral.
- Limpar os sapatos por dentro, usando desinfectante diluído ou álcool, deixando-o secar bem antes de calçar.
- Não usar meias de fios sintéticos, preferindo as de algodão, que são permeáveis.
- Andar o maior tempo possível descalço, dentro de casa, e usar chinelos quando estiver andando em piscinas, praias e locais húmidos de grande fluxo de pessoas.

Sem comentários: